domingo, 12 de novembro de 2017

Modelado de Máscaras - Ymaguare - 26-11.17




O modelado do rosto humano sempre foi uma atração narcisística na história da humanidade.
A Vênus de Willendorf, os gregos, as máscaras africanas, é uma eterna atração. Ainda continua sendo um desafio expressar-se através de um rosto, uma máscara.
Estou  procurando o caminho. Sempre me impressionou o Anjo do quadro Virgem das Rochas, do Da Vinci, a expressão meiga, entregue,  com a cabeça levemente inclinada. No Profeta  Ezequiel do Aleijadinho, de Congonhas, a harmonia do perfil, a curva do ocipital com o cabelo tão harmonicamente distribuído.Por aí afora....
Tentarei passar isso na oficina do Ymaguare.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

PREPARO DE ERVA MATE -Evento - dia 02.09.17

Sou daqueles que tomam chimarrão todos os dias. Acordo de madrugada, ainda escuro, para contemplar o céu estrelado (baixo percentual anual de noites estreladas aqui na encosta da Serra do Mar aqui em Quatro Barras-PR)  e tomar um mate.  Como  está chegando a primavera  o espetáculo de sons matinais, das aves, é maravilhoso. Para quem aprecia a Natureza, todo dia, toda hora, é um novo espetáculo.
   Na chácara onde moro tem muitas árvores de Ilex paraguariensis, no sistema agrofloresta. Ela consorcia-se bem com a Araucária angustifolia, nosso Pinheiro Paraná.
O vidrado da cuia acima é uma redução com vidrado de ferro, em alta temperatura, à gás.
Tenho muitas fotos de cuias que produzo, mas meu computador está com muitos problemas e para comprar um MAC novo preciso vender muitas cuias.
Depois que aprendi a processar a erva mate,  tornei-me independente.  
Tem alguns macetinhos que fui aprendendo para simplificar a produção. Tive que comprar um picador de vegetais para obter a textura para preparar o mate. Inicialmente fazia na porrada, para quebrar as folhas e galhinhos secos.
Em resumo, corto os galhos, podando a ervateira, deixando no mínimo 30% dos galhos com folhas, para que a árvore não sofra na recuperação. Seleciono e depois procedo ao "sapeco", que é colocar as folhas sobre o fogo, rapidamente, para "abrir o ôlho", que foi a tradução que encontrei para este ter-
mo. Depois seco as folhas e pequenos galhos dentro de um forno de pão ou pizza. Então, moo num picador com peneira.
Evidentemente que preparo pequenas quantidades, apenas para meu consumo. Num dia preparo 6 a  8 kgs que me sustentam por um bom período. Quando termina, refaço a operação.
Então, a oficina será isso: colheita, seleção, sapeco,  secagem, moagem e partilha: pronto para o consumo. Como capacidade do forno não é muito grande, serão produzidas várias bateladas.
É um sistema caseiro que preserva o perfume intenso que possuem as folhas de erva mate, desconhecido por quem compra erva mate de procedência duvidosa . Ela, a erva mate produzida, pode ser guardada para ser consumida mais tarde, 8 meses, como recomendava a legislação antiga de produção e venda desta deliciosa bebida de origem indígena, nomeada cientificamente pelo Saint Hilaire, quando passou pelo Paraguai. É só pesquisar na Internet para saber das qualidades da erva mate e dos produtos que a Alemanha nos envia, preparados com a erva mate quem importaram de nós.
Preço da  Oficina = $ 100,00 - Vai durar o dia todo e, no final, será repartida a produção!
Almoço e lanche, incluso. Início 9h, término às 17horas.
Passando a cuia o tempo todo!
Para participar, entre em contato!

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Pintura Livre - Vertimento


Há anos venho tentando entender e desenvolver a pintura livre. A técnica é a do vertimento.. É muito difícil porque fica aquele resultado borrado se o gesto não for espontâneo, porém muito controlado. O preto no branco tem o contraste  ideal, você pode estar olhando a figura branca ou a preta, duas realidades. Fiquei durante anos pintando essa técnica, mas somente vez por outra sentia-me satisfeito. Na maioria dos casos achava o resultado como algo mal feito. Não é só deixar escorrer o vidrado, não funciona! 
A pia acima, estudei como deveria fazer a pintura, treinei, mas quando compreendi como deveria fazer, zapt, em alguns segundos a pintura estava pronta. Queima = raku !   Queria o contraste, mas a encomenda da pia já estava feita, preto no branco. Gostei!
 
Nas postagens anteriores sempre aparecem peças decoradas com esta técnica, se quiserem comparar e verificar a evolução é só ir clicando.
Atualmente, quando acho que o resultado apresenta alguma falha, ou não concorda com harmonia do conjunto, faço retoques, de leve. É só estudar, prender a respiração e zapt!

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

OFICINA SANGUE DE BOI - RESULTADO

Fazer uma oficina  de um vidrado, como é o Sangue de Boi, é um desafio, para mim. Tudo num dia: preparar as soluções, passar nas peças, enfornar e queimar a 1263oC.
Ainda tem a redução que precisa ser correta, senão não ¨sangra¨.
 Meu forno é cilíndrico, funciona com apenas um maçarico potente, 50 kcal, que permite fazer a redução.
Fiz uma queima rapidíssima, em 3 horas apenas, até a temperatura acima. Depois começa a redução mais completa, pois inclusive na subida da temperatura já vou reduzindo, no próprio maçarico.
É muito compensador trabalhar junto com um bom grupo de pessoas, interessadas no assunto e de astral suave. Tudo acontece normalmente, flui.  O dia estava espetacular, a cerejeira do Japão estava no ponto máximo da sua floração, dando uma agradável sombra cor de rosa, ao lado do ateliê.
As peças abaixo foram feitas pelos participantes da oficina!


A peça acima ficou vermelha com manchas azuis, aquela pintura característica de chama.
Quando a redução, em algumas áreas do forno, não funciona perfeitamente, devido à circulação interna, ou por estar mal vedado o forno, aparece o verde cobre. Gosto desta mistura, já que funciona como tendo sido pintada pela chama redutora e  pelo vento oxidante.


A queima de fogo sempre tem aquela  atração, trabalhamos na transformação, manipulando a
queima, buscando o acerto.
Com esta oficina terminou a sequência de encontros que começou no ano passado, com oficina de modelado de Máscaras, Raku, depois confecção de massas de alta temperatura, massa para raku, massa texturizada, pesquisa de vidrado pelo método Triaxial, Vidrado de Cinzas e, por último, o clássico Sangue de Boi. Foram oficinas onde mostrei o meu trabalho, como eu faço e passando adiante a minha forma de trabalhar. São muitas as maneiras de se fazer cerâmica, praticamente vou abrindo meu próprio caminho, encontrando resultados e  redirecionando, sempre, minha meta. Serendipicidade!
Obrigado à todos!

sábado, 29 de julho de 2017

OFICINA DE VIDRADO SANGUE DE BOI - DIA 06.08.17

Sempre tive grande atração pelos vidrados clássicos orientais=sino/nipo/coreanos. O Sangue de Boi é um ícone. Tentar acertar o vidrado é  um grande desafio. Muitos desistem. Corri até o Instituto Condorhuasi, do Chiti, para ver como o Maestro fazias seus vidrados. Faz quase uma década. Depois disso, gastei muitos bujões de gás para repetir, adaptar e acertar o vidrado. 
Tinha lido por aí que o Hamada tinha feito 4000 testes de Sangue de Boi.O caminho pareceu longo.
Tem sempre algo a mais a pensar: como é o vidrado Sangue de Boi que eu quero?
 Depois de ver o Sangue de Boi sobre porcelana, olhar em fotografias vidrados belíssimos, vi que o caminho precisava ser ao meu modo. As massas que eu gosto e que tem a ver comigo são texturizadas, possuem um pouco do vermelho das nossas argilas, ou das roxas, ou lilás, ou salmão, ou outro tom, que confere ao resultado final um peso de cor na  massa que me atrai. É o grês! Para por aqui mesmo. Se me gusta, definido o caminho.
Fiz centenas de peças com o vermelho característico de  redução do Cobre em alta temperatura. Onde elas estão? Algumas tirei fotos, poucas tenho comigo, fui vendendo, doando, sempre procurando mais um resultado. 

I) - O QUE É O VIDRADO SANGUE DE BOI:

É um vidrado clássico, de alta temperatura, com óxido de cobre no vidrado, que é reduzido à cobre vermelho durante a queima. Se não fosse reduzido o vidrado seria verde cobre.


II) - COMO VAI ACONTECER A OFICINA:
Começa às nove da manhã, com explicação teórica sobre a redução do Cobre. Apresento uma formulação que será preparada. Quem quiser pode trazer e preparar sua solução de vidrado, passar numa placa teste e depois ver o resultado.  Todos devem trazer uma peça, de tamanho pequeno, 10-15 cm de altura e diâmetro de 8-10 cm, e 10 placas teste. Estas peças e placas devem resistir a 1263 oC, que será a temperatura de queima. As peças serão vidradas e enfornadas e, em seguida, será começada a queima, com a demonstração da redução. A apreciação dos resultados poderá ser no mesmo dia, com risco de quebrar as peças, ou no dia seguinte. Excepcionalmente farei uma queima rápida, 4 horas, para encaixar no mesmo dia.


III) - ALMOÇO E LANCHE:

Almoço e lanche no Terra 
 Brasil Café, veja face book. Comida na qualidade especial para a oficina.
IV) - CUSTO:
O custo é de R$ 250,00,por pessoa,  a ser pago na 
 inscrição.

V) - VAGAS:
Máximo de 15 pessoas.

As peças acima foram queimadas  no meu  forno à gás e, como podem ver, tem várias tonalidades de vermelho, de acordo com a composição do vidrado, todavia, sempre o cobre como pigmento. Uso a malaquita ou óxido de cobre preto,ou, ainda, carbonato de cobre.

VENHAM PARTICIPAR!

ATELIÊ NARCISO CERAMISTA 
gpnarciso@hotmail.com

VIDRADOS DE CINZA - RESULTADOS

O resultado acima ficou excelente! Dos testes que fizemos, este ficou o mais homogêneo em termos de pintura. Está pronto, definido, definitivo. Resta repetir, cambiar os pigmentos e usar.
Numa oficina, como foi a nossa, rápida, de apenas um dia, os testes  já estavam preparados, tinham sido testados, mas uma margem de novas experiências sempre fica para o dia da oficina. Desta maneira, podem aparecer resultados inusitados e, ainda, dar vazão ao comando emocional dos participantes.
Este vasinho tem uma mistura de azul cobalto com cobre. Ficou ótimo, a cobertura está perfeita, o vidrado foi passado de maneira correta.
Tenho alguma dificuldade em ampliar as oficinas, com  3 encontros e, assim, abordar os vidrados de cinzas mais amplamente. Seria mais satisfatório  e daria mais consistência, Todavia, o momento histórico é meio corrido, apertado e financeiramente esquisito. Não há imposto que baste para satisfazer a sanha  governamental, cujos gastos não resistem às menores argumentações. Por exemplo: Quanto custa o auxílio "dentadura" para os nossos deputados federais, anualmente? Deixa prá lá! Cartas para o seu deputado!!!

 
Moro na área rural, para os alunos ou participantes de oficina virem até aqui é sempre um problema. Apesar de morar na histórica  Estrada da Graciosa, asfaltada e de fácil acesso. Tento amenizar os problemas fazendo uma oficina consistente, com conteúdo e  abordagem ampla, do que se faz no mundo inteiro no assunto  em pauta. Uso a bibliografia que tenho disponível  e que fui ampliando ao longo do tempo, faço as referências e deixo toda a biblioteca, mais de 130 livros, disponível para consulta.




Nesta oficina referencio os vidrados de Bernard Leach. Wolf Mathes, Chiti e outros. Claro, preciso adaptar ao interesse dos alunos. Quase ninguém possui forno ao fogo. Por isso, o estudo de vidrados de cinzas foi feito para forno elétrico, para 1230 oC.


Todos fizeram suas plaquinhas que servem para consulta futura, juntamente com a apostila da parte teórica.



Estamos no meio do inverno, um contraponto é marcante na nossa latitude. Flores de cerejeiras, de pessegueiros, de rododendros e estrelícias. As helicônias, porém,  com as folhas queimadas pela geada.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

OFICINA DE VIDRADOS DE CINZAS NO DIA 02 DE JULHO DE 2017-DOMINGO





Estou convidando você para participar de uma Oficina de Vidrados de Cinzas no dia 02.07.2017 (domingo).
Os Vidrados de Cinza têm encanto especial e fascínio sobre os ceramistas. Saber o que são e como usá-las, é muito interessante e engrandece o leque de conhecimento de qualquer ceramista.
O QUE É A OFICINA:

As Cinzas são usadas em vidrados desde que os chineses desenvolveram fornos que pudessem fundí-las. Hoje com os fornos elétricos e os eficientíssimos fornos à gás e à lenha, ficou mais fácil usá-las e fazem parte de muitas formulações. 
A Oficina vai mostrar como se usam as Cinzas. Como prepará-las para fazerem parte de formulações e, também, principalmente, serem o principal componente de um vidrado. Serão pesadas várias formulações que permitirão aos participantes terem um Vidrado Base de Cinzas para usar em seus  trabalhos, com o efeito e cor que desejar.
A temperatura de queima do vidrado será 1230 oC.

COMO FUNCIONA A OFICINA: 

A Oficina começa às 9 horas da manhã e termina às 17 horas. Todos os participantes receberão um arquivo com a parte teórica da Oficina, após a confirmação da inscrição. Será demonstrado como limpar, lavar e preparar as Cinzas para serem incorporadas às formulações. Cada participante deverá trazer 20 plaquinhas para ter seu arquivo de testes com as formulações que forem elaboradas na oficina.  Serão, então,  queimadas, para apreciação do resultado.

O Almoço e o Café da Tarde serão servidos no Terra Brasil (facebook.com/terrabrasilcafe),  com a qualidade e capricho de sempre!


CUSTO:

O Custo individual é de R$ 200,00, a  ser pago para confirmar a inscrição, 

Gilberto P.Narciso
gpnarciso@hotmail.com
facebook.com/ narcisoceramista